POTENCIALIZE, DA FUNDAÇÃO 1BI CONTRIBUI COM DIAGNÓSTICO E PLANO DE AÇÕES DE MARKETING DIGITAL PARA O ARMAZÉM DAS OFICINAS

Pro bono mobilizou funcionários do grupo Móvile para diagnóstico e plano de ação

fundacao 1bi

Por intermédio da Fundação FEAC, a Associação Cornélia Vlieg, que em parceria com o Serviço de Saúde Dr. Cândido Ferreira administra o Armazém das Oficinas, participou da 3a edição do Potencialize, programa realizado pela Fundação 1Bi. Durante 8 dias e dois encontros presenciais ocorridos aos sábados, um grupo de 3 voluntários realizou uma assessoria Pro bono sob medida para as necessidades apontadas pela OSC. O grupo formado por Eric Nogare, Carolina Pasian e Giovanna Pereira se dedicou de forma intensa na busca por soluções de marketing digital que vão contribuir com a melhoria da venda pelo e-commerce já existente no site. Para Carlos Barbosa, diretor da Associação Cornelia que participou do programa, o Pro Bono agregou muitas coisas positivas para a evolução do desenvolvimento do canal de vendas: “ A principal contribuição foi a elaboração de hipóteses sobre as limitações das vendas pelo e-commerce. O grupo trabalhou com muito respeito a tudo o que havia sido construído anteriormente, realizando críticas para melhorar a redação dos anúncios junto ao Google, bem como a exposição e a descrição dos produtos em nossa loja virtual. Foi uma construção muito coletiva, com a apresentação de ferramentas que viabilizaram o aprendizado e não uma solução sob medida que poderá melhorar a performance temporariamente”, diz Carlos. O processo de implantação das ferramentas e o monitoramento estão acontecendo e a expectativa é que as vendas melhorem significativamente e que o processo de acompanhamento da performance seja permanente, visando rápidas adequações, de acordo com a agilidade dos ambientes virtuais. A Associação Cornelia agradece a Fundaçao 1Bi, ao Grupo Móvile e a Fundação FEAC pela oportunidade de trabalhar com profissionais super competentes que doaram conhecimento e tempo para tornar possível nossa meta de geração de renda e inclusão social a pessoas que sofrem com transtornos mentais ou dependência química e que por meio da atividade artesanal conseguem exercer cidadania.

Anterior
Próximo
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no google
Google+
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no pinterest
Pinterest

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *